quinta-feira, 14 de julho de 2011

Anorexia e Bulimia

Anorexia Nervosa
A anorexia nervosa é um transtorno alimentar que se manifesta pela forte recusa a se manter o peso corporal em níveis mínimos de acordo com o tamanho e a idade.
Uma mulher de 1,52 m, por exemplo, deve pesar entre 43 e 50 kg, mas, em casos de anorexia, acaba pesando até menos de 29 kg, chegando perto da morte. A doente se vê gorda no espelho, mesmo estando extremamente magra, e o ato de perder peso se converte em sua principal obsessão. Ela também se sente insegura para expor o corpo e perde qualquer desejo pelo contato físico íntimo. De cada dez doentes, pelo menos duas não conseguem superar a anorexia.
Mas há como prevenir: a doença se instala de repente, mas tem uma média de 15 meses de desenvolvimento, podendo mesmo chegar a vários anos. Como se trata de um distúrbio de auto-imagem, não adianta simplesmente obrigar a paciente a se alimentar. É preciso compreender seu problema e ajudá-la e reconstruir a auto-imagem e, acima de tudo, a auto-estima.
Mas lembre-se: a ajuda profissional é INDISPENSÁVEL para o tratamento.

Bulimia Nervosa
Comer, comer, incansavelmente comer. Não para suprir necessidades alimentares e sim para suprir outros tipos de fome: afetiva, biológica, sociocultural, familiar e individual. E depois? Vomitar, provocar diarréia, malhar, expurgar, fazer de tudo para se livrar de toda aquela comida. Estamos falando principalmente de mulheres (90%), elas iniciam o quadro na faixa de 18 a 23 anos. Mais rara em homens, quando ocorre neste sexo o quadro geralmente inicia entre os 20 e 25 anos. Acredite: pessoas que se não receberem tratamento podem manter-se com Bulimia até os 50 anos.
A ânsia por comida, própria da Bulimia Nervosa, leva seus pacientes a ingerir volumes assustadores de 2 a 5 mil calorias por episódio e de 1 a 7 ocorrências por dia. Depois do empanturramento, entram num processo de culpa vergonha e depressão capaz de provocar uma purgação através de vômitos, laxantes e outros métodos. É preciso se livrar daquele peso imediatamente! Assim que conseguem expelir o conteúdo, os bulímicos se sentem humilhados, fracassados, com idéias de auto-recriminação e ficam ansiosos em relação a situações sociais. Especialmente após o empanturramento, por isso isolam-se.
As compulsões ocorrem geralmente no fim da tarde ou início da noite, quando os pacientes saem, muitas vezes disfarçados, em busca de comida. Chegam a premeditar a compra e criar estratégias para o consumo, sem que as pessoas percebam.
Para ajudá-los, não adianta simplesmente dizer que estão bem ou recomendar dietas mais
saudáveis. É preciso um tratamento médico e psicológico para recuperar o equilíbrio e auto-estima da pessoa doente, e também muita paciência para compreender sua obsessão.
Como reconhecer as doenças
Na verdade, a forma mais óbvia de se reconhecer o problema é quando a paciente está abaixo do peso ideal e continua se achando gorda. Mas elas nem sempre revelam como se sentem. Então, alguns sinais podem ser observados:

*Recusa em usar roupas que exponham o corpo
*Idas freqüentes ao banheiro logo após as refeições
*Compra de produtos como laxantes e diuréticos
*Pouco interesse pelo contato físico e sexual
*Obsessão com o peso
*Busca de dietas muito radicais
*Longos jejuns




Vamos ouvir os comentários do  Dr. Drauzio Varella


video

Nenhum comentário:

Postar um comentário